Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘estatura’

Depois dos modos de prever a estatura final, de afastar eventuais causas da baixa estatura que precisem de tratamento, fica a pergunta: vou ficar assim pra sempre?

Esse é um dos assuntos que mais me preocupam e interessam. Fazemos tudo para adequar a estatura de crianças e adolescentes aos padrões populacionais e familiares – avaliamos, investigamos, diagnosticamos e tratamos.

Mas… e quando não conseguimos um diagnóstico? E quando temos o diagnóstico mas não temos tratamento ideal para oferecer?

Aí, vai de cada pessoa se adaptar e aceitar a baixa estatura da melhor maneira possível, apesar das dificuldades que sabemos que existem.

Autoestima se cultiva. Todo mundo tem seu valor, seus pontos fortes que fazem a diferença. Basta descobri-los e valoriza-los.

Encontrei um livro bastante interessante, com um título curioso, que foge do padrão de publicação sobre este assunto.

Vai aí a dica!

                                                               

     Escrito pela atriz Julianne Moore e traduzido por Fernanda Torres. Resumindo: a história do apelido da atriz, que dá nome ao livro, e de como ela superou o que passou na infância e adolescência para virar esta atriz que é hoje, aí em baixo.

     É com muita leveza e rindo de si mesma que Moore tenta mostrar às crianças o caminho para a auto-aceitação, o que, segundo a autora, é a fonte da felicidade na vida dos pequenos. “Quem liga para um milhão de sardas quando se tem um milhão de amigos?”, conclui a ruivinha na história, ilustrada com humor por LeUyen Pahm, artista vietnamita radicada nos Estados Unidos. Mesmo assim, a atriz conta que até pouco tempo teve dificuldades para aceitar seus traços de Morango Sardento: “Se você perguntar a qualquer ruiva se ela gostaria de ter cabelos loiros ou castanhos, com certeza ela lhe responderá que sim.

Anúncios

Read Full Post »

Fazendo um momento “Perguntas Frequentes”, esta é uma das dúvidas mais recorrentes. 

     Existem métodos que auxiliam a predizer qual será a estatura final de uma criança ou adolescente. Para isto, é importante que tenhamos, além da estatura atual, a informação sobre a idade óssea (o raio X da mão e punho). O método de Bayley-Pinneau usa estas duas informações para estimar a altura final. Entretanto, pode ocorrer erro de alguns centímetros devido à individualidade de cada criança ou adolescente, como puberdade, alimentação, possíveis doenças e uso de medicações.

 A curva de crescimento, a partir dos 2 anos de idade, levando em conta a estatura dos pais, também ajuda a estimar a estatura final, mas com um intervalo grande (20 cm para os meninos e 18 cm para as meninas).

Importante, então, é acompanhar a velocidade de crescimento com medidas periódicas da estatura, para que se possa identificar eventual desaceleração do ganho estatural. Assim, com investigação e eventual tratamento no momento adequado, a estatura final deverá ficar dentro do adequado.

 Esta tabela abaixo é a que utilizamos para ajudar na previsão da estatura – a de Bayley-Pinneau.

 Para ajudar, um exemplo: imaginemos uma menina que tenha idade óssea normal e estatura atual de 138 cm. Aos 10 anos, ela deve ter crescido, segundo esta tabela, 86,2% do total previsto. Deste modo, sua estatura final (100%) deverá ser em torno de 160cm.

      Importante: os valores em vermelho são para as meninas e os valores em azul para os meninos.

      Até breve!

Read Full Post »